Costa Web Novel: Segundo Capítulo. - M.A.D

13.2.14

Segundo Capítulo. - M.A.D


Olá! Estamos amando os vossos comentários!
Esse tá meio grande, não fiquem com preguiça não tá!
______________________

O sorriso que tinha em seus pequenos lábios não era sincero, porém tinha que confessar que de certa maneira era cómico ver sua mãe revirando seu roupeiro para encontrar algum conjunto para obriga-la usar. 
Algumas gargalhadas a mulher de sua vida era capaz de arrancar de si quando ela informava que não vestiria a roupa escolhida, sabia que dentro de minutos sua mãe iria dizer que ela não tinha roupa para sair, mas acreditava que isso não a faria desistir da missão de tirá-la de casa. 
Tiago e Laura quando punham juntos algo na cabeça em relação a ela, ou ia até ao final ou ia até ao final. 
- Isso vai ficar-te tão bem - informou mostrando a morena que tinha ainda os cabelos molhados devido ao banho recém tomado, o vestido com padrão floral rodado - Presente do Tiago? - a garota confirmou balançando a cabeça. 
Seu amigo tinha bom gosto, apenas não sabia usá-lo, se soubesse mulheres como as que ele leva para cama não conheceriam o que ele baptizou por "Paulão". Tiago precisava de uma mulher firme, pois ela sabia que não precisava muito para ele ser melhor que muitos homens que conhecia. 
- Queres que trate do teu cabelo? - perguntou a sua única filha enquanto entregava-lhe o vestido.
A garota balançou a cabeça negando, e foi para o banheiro que tinha em seu quarto. Sabia que ao contrário dela sua mãe não iria deixar a roupa atirada pelo quarto inteiro, algo que ela não tinha herdado dos pais era organização, também vestir frente a ela seria meio desconfortável, já fazia a anos que sua mãe nem a via de roupa interior.
- Que desarrumação é essa? – Perguntou meio irónico entrando no quarto de Mia, apesar de já estar habituado a encontrar o quarto naquele estado. 
Livros sobre a cama, roupas fazendo papel de tapetes, e ainda diziam que as mulheres são muito arrumadas.
Laura ,diferente de muitas mães tinha um estilo meio liberal,  mas havia limites. Não se importava com o local onde o amigo de sua menina preferia ficar, dentro ou fora do quarto dela, não havia importância. Sabia que nada poderia acontecer entre eles dois. Não havia aquele impacto físico, aquela troca de olhares que os desligava do Mundo, que desperta-se calores a quem estivesse perto. Eles eram irmãos, agiam como irmãos, brigavam como irmãos. Tiago era um para ela.
- Mãe manda esse gajo fora do quarto, está aqui a mandar indirectas e não estou vestida -  sua voz ouvia-se do banheiro onde estava, notava-se que seu ânimo  era outro, não admitia mas amava a indelicadeza de Tiago.
- Vá lá querido… - disse Laura gesticulando a cabeça, dando a entender ao rapaz que saísse do quarto.
Uma menina mulher, linda e meiga. A tristeza nos olhos notavam-se mas em seguida era abafada pelo sorriso bajulador agora mais verdadeiro, que saindo do banheiro notava-se.
Puxou o cabelo para trás fazendo um coque alto e meio desarrumado, com as orelhas livres de qualquer enfeite, usando o vestido que o Tiago ofereceu e uns sapatinhos rosa sem padrões e com um pequeno laço em frente de cor branca, jeito de vestir muito feminino.
-Estou pronta – falou olhando para a mãe de um jeito encantador e ao mesmo tempo de quem comeu e não gostou.
Tiago já tinha a sua carta de condução a bastante tempo, mas seus pais evitavam ter de o oferecer um automóvel, pois já tinha feito besteira que chegue.
- Hoje tenho de sair, não vou com vocês, peguem as chaves do meu carro e avancem. Eu vou de boleia – Avisou Laura. – Juízo – Alertou.
Tiago segura a mão de Mia quase arrastando-a para fora de casa, levando-a para dentro do carro, um Elantra preto que a mãe da morena tinha a 4 anos. Abre a porta a direita para que ela pudesse entrar e rapidamente dá a volta pela frente e entra para o lugar do condutor.
- Eu não acho que tu sabes onde estas a levar-me! – Afirmou olhando para o telefone, provavelmente esperando  uma mensagem do namorado, ou seja ex-namorado. 
Já eram 17 horas, e faltava pouco para o por do sol.
- Espero que não me leves num sítio que não sabes como voltar - Continuou.
- Achas mesmo!? Tu queres é que eu diga onde vamos, espera… - insinua olhando para ela encostada á cadeira inclinada um pouco para trás, permitindo- a repousar, enquanto ele a apreciava sorrindo.
Na verdade ele não sabia mesmo onde ia, não haviam muitos sítio que achasse conveniente, tinha claro os cinemas, os restaurantes, e tudo mais, mas não eram esses sítios que a sua querida precisava, tinha de ser um sítio onde pudesse gritar sem que ninguém ouvisse, chorar sem que ninguém julgasse, e revelar-se onde ninguém estava a espreita. Logo pensou na coisa mais simples e bela que nesse mundo há para contemplar.
Mia adormeceu, sem que soubesse onde ia. Mas não havia motivo de se preocupar pois confiava-o com todas suas forças, não é a toa que sua mãe emprestou até o automóvel... 
- Linda! – Sussurrou de modos a que acordasse. – Boneca, chata, pessoa! – Chamou mais alto para que a irrita-se. – Vá la , acorda chegamos - disse um pouco mais rabugento. 
- Já? Onde estamos?- Mia finalmente respondeu abrindo os olhos lentamente, vendo como primeira imagem a face de Tiago. - O Carro? – Assustou-se pois reparou que a ultima coisa que lembrava é que  estava no automóvel a olhar para o telefone. 
Logo ele deita-se ao lado dela, relaxando todo corpo na areia morna, aquecida pelo sol do fim da tarde, enquanto que ela senta-se para ver onde está.
- Acertaste, era desse silencio que eu precisava - diz apreciando a beleza do mar e seus acompanhantes , a lua , céu, as estrelas e a bela brisa, e deitou-se logo encostando-se ao peito de Tiago.
- Sabes tu não és tão durão como pensas ser, tu até és uma coisa fofa – declara gozando com a masculinidade do rapaz, sem resposta alguma. – Como é que enches-me de conselhos sobre relacionamentos e não consegues ter um? – pergunta curiosa.
-Não queres falar sobre isso, e perguntas porquê?
- Talvez porque quero falar sobre isso – responde Mia ainda na mesma posição. –Sabes já tens 20 anos e nunca falaste-me sobre nenhuma garota que mexeu contigo, de ninguém que achas legal, e diferente, e já conheço-te desde os meus 13 anos, tinhas uns… acho que … deixa-me contar…  1… 2…
- Já começas com essas contas, tens muito gozo – diz interrompendo-a enquanto ela ria-se de como ele pronunciou a última palavra - O facto de ter ou não essa idade não determina o facto de eu ter ou não ter uma namorada… - informou-a - mas Mia essa conversa deixa para outro dia, deixa-me estar, fico ótimo contigo nos meus braços, e sem abrir a boca – diz rindo-se dela enquanto ela olhava-o com ar estúpido.
- Está bem, mas … posso falar sobre mim não posso? – pergunta de um jeito meigo, mostrando necessidade de revelar-se, de abrir-se.
- Diz lá o que queres me dizer, mas que não seja lamentações. – Responde sereno.
- Humm deixa para lá, só dizes isso quando não queres ouvir- diz ela, olhando triste para o amigo.
- Ya! É verdade - responde com tanta naturalidade fazendo-a desatar a rir.
Não tinham como ficarem zangados um com o outro, claro havia dias, mas esses eram poucos, pois já entendiam a personalidade um e do outro, e agradava-lhes a honestidade como lidavam com as coisas, sendo más ou boas. 
- Queres nadar? – Levanta-se rápido como se fosse fugir de algo, e olha para Tiago. - Quero nadar com roupa só vejo isso nos filmes – diz correndo já para água sem esperar resposta, sem temer nada e salta para água,  pulando feito doida, gritando, cantando, nadando um pouco, mas sobre tudo brincando com a água… claro Tiago não quis fazer essa besteira . Sentou-se com os joelhos encolhidos e com os ombros neles apoiado, olhando para a menina, a sua  bebezinha a brincar com água.
Sentiu algo vibrar perto dele, retirou a atenção da amiga e procurou o objecto. Reparou que Diego ligava para a Mia, e já era a terceira vez. Levantou-se sacudindo a calça e caminhou até a água. 
Mia jogava a água para o alto, emergindo seu corpo e saiu dele com um sorriso enorme nos lábios. Jogou água na sua direcção o que fez recuar um pouco e ela voltou a emergir e nadar para longe. Ela estava feliz, estava sorrindo de verdade. O telemóvel dela voltou a vibrar. A lua iluminando o corpo dela boiando, era possível ver que ela estava longe de lágrimas e decepções, de lamentações e porquês. Ela estava bem. Desligou o seu telemóvel e o dela. Jogou na areia , junto com cada peça de roupa que cobria seu corpo, estando apenas de boxer, mergulhou para fazer companhia a ela.
Já eram 23 horas, Mia estava toda ensopada, molhando o assento, enquanto o espertinho estava como se não tivesse feito a mesma coisa. 
Chegaram em casa, os dois eram vizinhos de bairro, viviam na mesma rua em casas não muito distante. 
O mundo parecia ser só deles naquela noite fizeram todo o tipo de brincadeira. Saíram do carro os dois, Mia decidiu que tinha de ser levada com uma princesa para dentro de casa, mas Tiago não era o príncipe, mas o cavalo, saltou para cima dele, para as suas costas exactamente, e andavam na direcção de casa agarradinhos. Quando Mia desce para abrir a porta com as suas chaves nas gargalhadas com o Tiago devido a ideia do amigo de fazer sons típicos de um cavalo. 
- Então é por isso que não atendias o telemóvel!? – Pergunta Diego com ar de desgosto e desilusão. 
Ela estava ali rindo alto, divertindo-se, enquanto ele sofria, quando ele decidiu por o orgulho de lado e tentar resolver, procurando uma maneira de tê-la de volta. E ali estava ela, com ele, feliz. 
- Diego!? – Assustou-se pois sabia que aquilo não era agradável para Diego, sabia que ele veria além do que era. Maçãs quando Tiago estava por perto, aos olhos dele eram veneno – Diego estas aqui muito tempo? – Pergunta Mia a ser interrompida pelo Tiago.
- Fica bem Mia já tens companhia, vejo-te amanhã - Diz Tiago fugindo da situação, pois não era segredo para ninguém que havia algo estranho entre ele e o Diego, rumores, meio verdadeiros pensava ele.
Diego olha para ele com raiva, mas sendo a pessoa que é decidiu não passar palavra a Tiago e permitiu que os deixasse a sós.
- Faz alguma diferença se estou aqui a muito tempo? – Perguntou frio. – Eu estava preocupado contigo… - falou olhando profundamente para ela. – Fique bem Mia, já está tarde, vou para casa. – Avisou enquanto que da boca dela não saia nem uma palavra, sentia-se culpada, nunca o tinha visto assim. 
- Diego! Amo-te lembra disso. – Avisa Mia sincera enquanto que ele ia embora sem olhar para trás.

___________________________
 Gostaram? Se sim comentem tá! Se não também comentem que a gente faz melhor no próximo.
Comentários respondidos aqui
Recebemos muitos comentários positivos que nos deixaram eufóricas. 
Obrigada, voltem sempre!
XOXO!

14 comentários:

  1. Respostas
    1. Posto sim :) Amanhã posto sim. Obrigada por comentar

      Eliminar
  2. Oi Eri e Eldinha!
    Eri, comentaste no meu blog e vim retribuir. A Sílvia indicou o meu blog? Não sabia disso. Estava numa altura em que as pessoas tinham se esquecido de mim por ter desaparecido por algum tempo. Vim com uma nova história e parece que desapareceram.
    Vocês são portuguesas? Há muito tempo que não leio nada em português de Portugal. A maioria são de pessoas do Brasil.
    Gostei da vossa história mas ainda não estou no último post. Apenas li o post dos personagens, a sinopse e o prólogo. Li apenas isso e gostei. Vou postar no meu blog e daqui a uns minutos leio os dois capítulos.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez ela muito bem indicar. Estou agendado um dia dedicado só para ler tuas histórias antigas.

      Eliminar
    2. Somos angolanas, mas é quase a mesma coisa! Pois falamos como vocês :)

      Eliminar
    3. Estou a comentar assim porque meu blogger ta meio doido. Derrepente para e não consigo comentar mais. Fico feliz por gostares até porque também estou gostando muito da sua também. Vou para lá agora mesmo. Obrigada

      Eliminar
    4. Já li os dois capítulos e adorei. Não sei porquê mas gostei do Tiago.
      São angolanas? É a primeira vez que leio alguma história de alguém de Angola. Eu sei que falam como os portugueses, tenho amigas e colegas de turma que também são de Angola. Vocês são pessoas muito simpáticas!
      Bem, quanto à história, eu gostei muito. Postem! É uma ordem! :)

      Bjs :)

      Eliminar
    5. Ordem que será cumprida, mas só amanhã ;)
      Pois é, até que solos simpaticos, Uns até demais (como as autoras deste blog, modéstia não tenho). Fico muito feliz por gostares.
      Por acaso eu também gosto muito do Tiago, mas sei lá é momentaneo

      Eliminar
    6. Talvez o próximo deixará-te como eu! Obrigada por ler e comentar
      Bjo!

      Eliminar
    7. OLá Diana. Amei o teu cometário. Oha ainda vaz ficar surpreendida. Espero que possas continuar a ler :) Eldinha. Também quero ler as tuas estorias!!

      Eliminar
  3. eu tenho uma doença que não me permite gostar de quem quer que seja que esteja no caminho do happily ever after dos protagonistas, por isso não gosto do Diego. a historia ta interessante estou a gostar.

    ResponderEliminar